As mudanças desde já

01-10-2017

As mudanças no nosso clima são a maior ameaça ambiental de todos os séculos, com consequências profundas a nível económico, social e ambiental. As alterações climáticas sempre foram registadas ao longo dos séculos pois eram encaradas com um ritmo normal da natureza e da essência do planeta. O problema acontece quando principalmente, no séc. XXI, o ritmo destas alterações sofreu uma vigorosa rapidez e o que está a acontecer é devastador.

Todos estamos a ser atingidos por este assunto, um por um, os cidadãos, as empresas e o mais importante de tudo, a natureza.

As tendências estão lá todas, a ocorrência de ondas de calor e o tempo seco é cada vez mais frequente, as temperaturas estão sempre acima da média para a época e assim conseguimos ter a maior parte dos territórios em seca. Outra preocupação que também se tem realçado muito no nosso país, tem sido a questão da agricultura e das culturas dos homens da nossa terra, como por exemplo, as consequentes perdas agrícolas que representam um grande prejuízo. Nesta área, a agroecologia tem se revelado uma grande disciplina de ensinamento para os agricultores que queiram rentabilizar e potencializar melhor o seu espaço já adaptado a todas estas alterações.

Defendemos todos como preferências o desenhar de estratégias de adaptação da agricultura seguindo os princípios da agroecologia, dando prioridade à saúde de ecossistemas em detrimento do aumento da utilização de adubos, pesticidas. O uso desta estratégia de adaptação às alterações climáticas não é de domínio exclusivo de nenhuma técnica de produção, no entanto, não é ainda muito utilizado principalmente nos regimes de monoculturas.

No núcleo destas mudanças estão os terríveis gases de efeito estufa, cujas emissões sofrem um grande aumento. Este gás é a consequência direta para o aumento da temperatura global da Terra. É, por isso, necessário reduzir as emissões deste tipo de gases, #envolver as energias renováveis, #sensibilizar para a poupança de energia e #fomentar a eficiência energética.

Em Portugal, mais propriamente no nosso interior, estas alterações cada vez mais estão a reforçar o risco dos fogos florestais, e estão a ter também impactos na #saúde, na #biodiversidade, na #agricultura, nas nossas #águas... Perante todo este cenário que vivemos, as ações de adaptação são inevitáveis e já estão a ser encaradas.

#ecoesam #ecoescolas #jra