Um minuto de silêncio ensurdecedor

30-11-2017

Mais do que um Clube que visa a promoção do bem estar ambiental e social, o Clube Eco-Escolas da Escola Secundária Alves Martins pretende ser, também, um projeto que assenta no ideal de que todas as pessoas devem ter acesso, em modo igualitário, ao sistema de ensino, em todas as suas vertentes. Neste sentido, considerando que a inclusão escolar prevê a integração dos alunos com Necessidades Educativas Especiais em todas as atividades e projetos que são realizados em contexto escolar e sabendo que a nossa escola tem o privilégio de acolher quatro alunos surdos que têm como língua materna a Língua Gestual Portuguesa, o nosso clube não poderia deixar passar em branco uma data tão importante para a nossa comunidade escolar, como foi o dia 15 de novembro - Dia da Língua Gestual Portuguesa (LGP).

Deste modo, no dia 21 de novembro, o Clube Eco-Escolas dinamizou uma atividade que intitulou de "Um minuto de silêncio ensurdecedor". A referida atividade teve como principal objetivo a consciencialização de todos os alunos e professores da escola, levando-os a refletir sobre o período de seca que atravessamos e os graves incêndios que, recentemente, afetaram a nossa zona. Para tal, dois dos alunos surdos da escola, acompanhados por alguns alunos do Clube Eco-Escolas, visitaram algumas turmas da escola e declamaram o seguinte poema, da autora Florbela Espanca, em LGP:


Árvores! Corações, almas que choram,

Almas iguais à minha, almas que imploram

Em vão remédio para tanta mágoa!

Árvores! Não Choreis! Olhai e vede:

-Também ando a gritar, morta de sede,

Pedindo a Deus a minha gota de água!

Depois deste minuto, que foi "de silêncio", mas com uma forte mensagem implícita, o poema foi lido em voz alta por um aluno de cada turma (voluntário).

A equipa Eco-Escolas

(Artigo publicado no Jornal Escolar "EntreNós")